Jul 23
Crise de transporte agrava-se na capital PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por kamba de almeida   
Terça, 28 Dezembro 2010 13:21

Crise de transporte agrava-se na capital

A CIDADE do Maputo está a registar um agravamento da crise de falta de transportes, devido à falta de meios circulantes, supostamente pelo facto de não se estar a licenciar viaturas de 15 lugares.

Maputo, Terça-Feira, 28 de Dezembro de 2010:: Notícias
 

A situação agravou-se com a chegada da quadra festiva, período em que os poucos transportadores existentes optam por fazer carreiras interprovinciais com o intuito de ganhar mais dinheiro.

Um dos fenómenos característicos desta crise são as enchentes que se verificam nas paragens, um pouco por toda a cidade e a retomada de carrinhas e camionetas como alternativa à carência de transportes.

Para fazer face à crise, indivíduos singulares têm levado as suas carrinhas de  caixa aberta para socorrer a milhares de pessoas, com todos os riscos daí resultantes.

O secretário-geral da Associação dos Transportadores Rodoviários de Maputo, Samuel Nhatitima, explica que a crise está a acentuar-se porque não estão a ser licenciadas viaturas de 15 lugares e ainda não há disponibilidade de carros com 30 lugares, considerados ideais para a actividade de transporte de passageiros.

Acrescentou que a ideia é até óptima, pois visa aliviar a cidade do congestionamento e reduzir os desmandos protagonizados pelos transportadores. Entretanto, segundo disse, a mesma deve ser acompanhada pela introdução das viaturas eleitas.

A falta de transporte verifica-se, entre outras, nas linhas Xipamanine-Museu, Xipamanine-Anjo Voador, Baixa-Praça dos Combatentes, pelas vias Acordos de Lusaka e Vladimir Lénine e ainda na rota Museu-Laulane.

Os transportadores entendem que nestas rotas não há condições para a circulação de carros de 30 lugares devido às características das vias. Enquanto não se resolve o problema, as pessoas vão optando pelas camionetas que estão a tomar conta do recado.

Segundo a ATROMAP, a cidade está com um défice de 400 viaturas. Muitas deixaram de operar por avarias mecânicas grossas, outras pelo fim do seu período de vida útil e outras ainda saíram da rota dos semicolectivos com a interdição da emissão das respectivas licenças.

Recentemente foi anunciada a aquisição de 20 novos autocarros com capacidade de 25 lugares para reforçar o transporte de passageiros na cidade de Maputo. As mesmas fazem parte de um lote de cem que se espera cheguem ao país até próximo ano, no âmbito de uma parceria entre o Governo e a Associação dos Transportadores Rodoviários de Maputo (ATROMAP).

 

Deixar comentário